São Caetano do Sul

São Caetano do Sul

Cidade de São Caetano do Sul

São Caetano do Sul é um município brasileiro do estado de São Paulo, na mesorregião Metropolitana de São Paulo e microrregião de São Paulo. Está localizado na Zona Sudeste da Grande São Paulo, em conformidade com a lei estadual nº 1.139, de 16 de junho de 2011[7] e, consequentemente, com o Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado da Região Metropolitana de São Paulo (PDUI).[8]

É a cidade com o melhor IDH do Brasil (PNUD/2010), e também com o 48º maior PIB brasileiro. A população aferida no Censo de 2010 foi de 149.263 habitantes. A estimativa de população, calculada pelo IBGE com data de referência 1 de julho de 2019, foi de 161 127 habitantes. A área total da cidade é de 15,331 km², o que resulta numa densidade demográfica de 9.736,03 hab/km² (Censo de 2010).[1]

É intensamente conurbada com São PauloSanto André e São Bernardo do Campo, fazendo com que se percam os limites físicos entre as cidades. São Caetano do Sul, juntamente com Ferraz de Vasconcelos, é uma das duas cidades do estado de São Paulo que não são atravessadas por nenhuma rodovia estadual ou federal.[9]

A história da cidade liga-se ao descobrimento do Brasil. Após o encerramento da vila de Santo André da Borda do Campo, já no ano de 1631, o capitão Duarte Machado doou aos padres beneditinos o sítio que possuía no Tijucuçu. Anos mais tarde, em 1671, o bandeirante Fernão Dias Pais Leme arrematou em leilão outro sítio vizinho e também o doou aos padres. Assim, formaram a Fazenda São Caetano, onde, além de pequenas plantações, mantinham uma olaria para fazer os tijolos, lajotas e telhas de que necessitavam para a construção do Mosteiro de São Bento, no centro de São Paulo.

As terras da antiga Fazenda São Caetano foram adquiridas pelo Governo Imperial com a intenção de formar Núcleos Coloniais para incentivar a imigração européia, sendo este o primeiro a ser inaugurado. Em 29 de junho de 1877, algumas famílias de imigrantes italianos da região de Vittorio Veneto, no Nordeste da Itália, embarcavam no porto de Gênova com destino ao Brasil, iniciando-se o processo imigratório no município.[10]

No início do século XX, a cidade destacou-se pela produção cerâmica e química, tendo sido endereço da Louças Claudia e da Fábrica de Rayon Matarazzo, integrantes do núcleo Indústrias Reunidas Fábricas Matarazzo, além da Fábrica de Louças Adelinas, fundada pelo português Manoel de Barros Loureiro, e da Cerâmica São Caetano, fundada por Roberto Simonsen.[11] Um dos funcionários desta última, aliás, acabou se tornando o responsável pela popularização arquitetônica dos “pisos de caquinhos”[12], a pavimentação com mosaicos de cerâmica, em muitas casas no Grande ABC, e na Vila Mariana, na Capital Paulista.

Além do forte histórico na produção cerâmica e química, a cidade também é sede de outras empresas como, por exemplo: Casas Bahia (Via Varejo), fundada em 1952 por Samuel Klein no município, General Motors do Brasil, fábrica de brinquedos Gulliver, fábrica de Chocolate Pan, e da floricultura Giuliana Flores.[13]

Também possui uma das mais antigas instituições dedicadas à formação de artistas no estado de São Paulo, a Fundação das Artes de São Caetano do Sul, por onde já passaram atores como Cássia KissFábio AssunçãoMarcos FrotaAndré SegatiEugenio Kusnet e o diretor Ulysses Cruz. Além deles, os músicos Amílton GodoyNelson AiresRoberto Sion e Adenílson Telles, ex-aluno que, desde abril de 2001, está na Orquestra Filarmônica de Berlim. A Fundarte foi criada pelo ator Milton Andrade, ganhador de diversos prêmios, entre eles o Governador do Estado como melhor ator em O Novo Othelo (1959) e o Concurso Literário da sociedade Brasileira de Cultura e Arte de São Paulo (1997).[14][15]

Nos esportes, a Associação Desportiva São Caetano destaca-se com a chegada do clube na Copa Libertadores da América de 2002 e com o São Caetano Esporte Clube que conquistou o título de campeão na Liga Nacional de voleibol feminino de 1991-1992, reconhecido como um dos principais modelos na formação e revelação de jogadoras de voleibol, por onde passaram nomes como Ana Moser e Fofão. Além disso, a jogadora de basquete Hortência de Fátima Marcari, uma das maiores jogadores do basquete mundial, residiu na cidade e iniciou sua carreira vitoriosa, no início da década de 70, no time do São Caetano Esporte Clube e depois defendeu o CRE Fundação. [16] São Caetano do Sul foi a base da seleção brasileira de basquetebol feminino, entre o fim dos anos 60 e início dos anos 70. Dessa época de ouro, além de Hortência, participaram Delcy Ellender Marques, Elzinha Pacheco, Norminha, entre outras. O ginasta Arthur Zanetti, nascido no município, começou a treinar na SERC/Santa Maria, na região, aos 7 anos, e é outro nome que se destacou.[17]

Na educação, a cidade está entre as melhores do país, com 30,9 vagas em Universidades Públicas por mil habitantes em idade PEA; média no ENEM de 586 pontos; 98,8% de docentes no ensino médio com ensino superior; nota IDEB de 6,2 pontos; taxa de abandono de apenas 1,8%; média de alunos de 27,1 por turma; e despesa paga com educação de R$2.792 por habitante. É a primeira do Ranking Connected Smart Cities, elaborado pela Urban Systems, no recorte Educação e a quinta no ranking geral. [18] Entre as faculdades da região estão o Instituto Mauá de Tecnologia e a Universidade Municipal de São Caetano do Sul, considerada a melhor instituição de ensino superior municipal do Brasil e a 7ª entre as melhores universidades públicas de São Paulo pelo Guia do Estudante, em 2017.[19]

Em São Caetano do Sul também já foram realizados shows históricos. Em 1995, mais de 100 mil pessoas se reuniram no parque Espaço Verde Chico Mendes para ver AMIGOS, show protagonizado por Chitãozinho & XororóLeandro & Leonardo e Zezé Di Camargo & Luciano. As duplas trocavam de parceria e cantavam músicas uns dos outros. O evento foi gravado e televisionado para todo o Brasil. Além disso, em 1985 a cidade também foi palco de um show memorável na carreira do cantor Raul Seixas. Realizado no Estádio Lauro Gomes, a apresentação foi a última antes do hiato de 3 anos na carreira do cantor, que só voltaria aos palcos em 1988, ao lado de Marcelo Nova no Clube Atlético Aramaçan, em Santo André.[20][21]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *